• Abr : 24 : 2019 - Poluição Luminosa
  • Ago : 11 : 2014 - Apelo ao boicote de alimentos com milho transgénico
  • Nov : 23 : 2011 - Petição pela salvaguarda das Sete Fontes
  • Jul : 6 : 2011 - Perigo para Paisagem Protegida Valongo
  • Jun : 17 : 2010 - Corte de Árvores na Circunvalação – resposta da C.M. Porto

Segunda-feira, 14 de Outubro de 2002

Público

Moradores de Bairros Pré-fabricados do Porto Continuam à Espera de Casa
Por VANDA MENDONÇA

Sofás, estante e mesa de cozinha amontoam-se na sala, lutando por um pouco
de espaço. Na casa de madeira, com três quartos, vivem actualmente sete
pessoas. Maria Carolina Silva, o marido, três filhos, uma nora e um neto.
Maria Carolina Silva está há 15 anos no Bairro das Areias, um dos três
bairros pré-fabricados da cidade do Porto. TEXTO

“O IC1é Um Problema Regional”
Por ANTÓNIO GONÇALVES

O Bloco de esquerda (BE) crítica o Instituto de Promoção Ambiental (Ipamb)
por não ter realizado nenhuma audiência pública sobre os traçados
alternativos para o toço do IC1 entre Viana do Castelo e Caminha. TEXTO

OPINIÃO
Factos à Medida
Morra a Exponor! Viva o Terreirinho!
Por LUÍS COSTA

Ludgero Marques quer fazer um Terreirinho do Paço em Leça da Palmeira. O
problema é que Narciso Miranda não tenciona pagar-lhe as acessibilidades,
essa espécie de eufemismo muito vulgarizado entre a nossa classe dirigente e
jornalística que mais não quer dizer do que estradas, ruas e viadutos. TEXTO

JN

Entrevista com Nuno Cardoso

“Porto 2001 queria 10 milhões de euros pelo Edifício Transparente”

Em que fase estava o processo do Altis, quando deixou a autarquia? Saio da
Câmara com a obra embargada. Havia um pedido de informação prévia aprovado,
cumprindo o PDM. No desenvolvimento do projecto, eles não cumpriram o pedido
de informação prévia. Além disso, começaram a construir acima da cota zero
sem licença de constru ção.
O projecto ultrapassava a volumetria que tinha sido estabelecida? Penso que
sim. Havia uma desconformidade do projecto, face ao pedido de informação
prévia. Como tal, a licença de construção não podia ser passada. O projecto
tem de cumprir o PDM, de acordo com o contrato que foi estabelecido.
Ricardo Figueiredo licenciou a obra, mas o licenciamento está a ser revisto.
Acha que há uma desautorização do vereador por parte do presidente?
Parece-me que sim.

Empresa para a Baixa tem apoio de Rui Sá
Comunista quer saber mais sobre modelo de recuperação, que começará em 2003
carla sofia luz
O modelo de recuperação do património edificado da Baixa do Porto, proposto
pela Câmara ao Governo e que arrancará no início de 2003, agrada a Rui Sá,
mas o comunista quer saber mais. Favorável à criação de um organismo que
cuide apenas do centro da cidade, o vereador não esquece os necessários
incentivos para atrair investidores.

Escola alerta contra tráfego

Educadores preocupados com segurança de alunos quando abrir troço da VCI de
Gaia
erika nunes

Pais, alunos e professores estão apreensivos com as alterações de trânsito
que entraram em vigor, anteontem, nas imediações da escola secundária
António Sérgio, junto ao Jardim Soares dos Reis, em Gaia. Falta cerca de um
mês para a abertura em funcionamento do penúltimo troço da Via de Cintura
Interna (VCI) de Gaia, entre a Barrosa e as Devesas, que vai desembocar,
praticamente, na entrada da escola frequentada por mais de 1500 alunos. A
avenida para onde o tráfego está a ser orientado tem sentido único, pela
faixa junto à escola, estando reservada a outra faixa para estacionamento e
acesso a garagens.

Gulpilhares oferece casa às associações

Cinco instituições da freguesia de Gaia já se mudaram para o edifício,
construído, em nove anos, pela Junta
carla sofia luz

Uma casa para as associações. A prenda é da Junta de Freguesia de
Gulpilhares e demorou nove anos a concretizar. Hoje, já cinco instituições
locais ganharam uma nova sede, mas a obra ainda não terminou. Enquanto se
dão os últimos retoques no edifício, mais c olectividades da freguesia de
Gaia esperam pela sua vez.

Tudo o que fizemos pelos clubes foi pouco

Nuno Cardoso critica as Medidas Preventivas do actual Executivo da Câmara do
Porto por “deixar a cidade sem regras urbanísticas”
Carla sofia luz

Nuno Cardoso rejeita a visão do investidor como especulador e considera as
Medidas Preventivas do actual Executivo como um passo para a “total
discricionaridade na gestão urbanística da cidade”. De olhos no passado, o
ex-presidente da Câmara Municipal do Porto defende os apoios dados aos três
clubes profissionais, admitindo que os valores da ajuda nunca o preocuparam.

Imprimir esta página Imprimir esta página

Categorias: Boletim

Deixar comentário